domingo, 31 de outubro de 2010

Seminário "Espiritismo e Ecologia" - SALVADOR-Bahia






Prezado(a) Amigo(a),
 

A Sociedade Espírita O Semeador, em parceria com a FEB (Federação Espírita Brasileira), promove o seminário e lançamento do livro "ESPIRITISMO E ECOLOGIA" com ANDRÉ TRIGUEIRO(RJ), repórter e apresentador da Globo News. Dia 27 de novembro,     9 às 18hs, no confortável auditório da Faculdade de Engenharia da Ufba (Escola Politécnica), Rua Aristides Novis, 02, Federação (Próximo ao Campo Santo).

 

O evento também terá Pintura Mediúnica com Florêncio Anton e Peça Teatral "Acode a Natureza".

 

Entrada Franca (Por ordem de chegada. Não teremos inscrições antecipadas)

 

O Livro "Espiritismo e Ecologia" será vendido no dia do evento ao preço de R$ 20,00. Teremos sessão de autógrafos.

 

Gostaríamos de pedir que este email seja repassado para sua lista de contatos, visando uma maior divulgação do evento.
 
SEGUE EM ANEXO O CARTAZ  E FOLDER, NO FORMATO A4, PARA QUEM PUDER IMPRIMIR E FIXAR EM ALGUM LOCAL.
 
Confira a programação completa do evento no nosso site:
 
Venha participar desse grande evento!
 
Desde já agradecemos a sua atenção e colaboração.
 
Arival Neto
Coordenador Doutrinário
Sociedade Espírita O Semeador
 

PERFIL do jornalista André Trigueiro e algumas informações do livro:

"André Trigueiro, espírita desde 1987, desde 2004 venho fazendo palestras e seminários em casas espíritas sobre este assunto, é jornalista com Pós-graduação em Gestão Ambiental pela COPPE/UFRJ, Professor e criador do curso de Jornalismo Ambiental da PUC/RJ, autor do livro Mundo Sustentável - "Abrindo Espaço na Mídia para um Planeta em transformação" (Editora Globo, 2005), Coordenador Editorial e um dos autores do livro "Meio Ambiente no século XXI", (Editora Sextante, 2003).

Desde 1996 vem atuando como repórter e apresentador do "Jornal das Dez" da Globo News, canal de TV a cabo onde também produziu, roteirizou e apresentou programas especiais ligados à temática socioambiental. Pela série "Água: o desafio do século 21" (2003), recebeu o Prêmio Imprensa Embratel de Televisão e o Prêmio Ethos - Responsabilidade Social, na categoria Televisão. Pela série "Kioto: O protocolo da Vida" (2005) recebeu o título de "Hours Concours" no Segundo Prêmio CEBDS de "Desenvolvimento Sustentável". Pela série "A nova energia do mundo" (2005) , recebeu o Prêmio Nacional de Conservação e Uso Racional de Energia 2005, oferecido pela Eletrobrás e pela Petrobras.

Pelo programa "Cidades e Soluções", recebeu o prêmio Ethos de Jornalismo na categoria mídia eletrônica - TV (2007) , o 3º Prêmio ABCR de Jornalismo, o Prêmio Especial do Júri - categoria Mídia (2007) na 3ª Edição do Prêmio CEBDS (2007), o Prêmio ABRELPE de Reportagem (2007) e o I Prêmio Microcamp de Jornalismo - categoria telejornalismo (2008). Foi agraciado com o Prêmio Comunique-se na categoria Jornalista de Sustentabilidade (2007). Recebeu o Prêmio Ethos de Jornalismo 2008, pelo conjunto da obra em responsabilidade social e desenvolvimento sustentável (na categoria TV). Recebeu a Medalha de Mérito Pedro Ernesto, a mais importante comenda do município do Rio de Janeiro (2008).

Cobriu pela Globo News, as Olimpíadas de Sidney (2000), a as Copas do Mundo na Coréia do Sul e no Japão (2002) e na Alemanha (2006), e as eleições para a presidência dos Estados Unidos (2004). É Editor-chefe do programa semanal "Cidades e Soluções", exibido na Globo News desde outubro/2006. É comentarista da Rádio CBN (860 Kwz) onde apresenta aos sábados e domingos o quadro "Mundo Sustentável; e na Rádio Rio de Janeiro apresenta o quadro "Ecologia e Cultura". Presidiu o Júri da VI e da VII Edições do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental de Goiás.

Lançou seu novo livro "Espiritismo e Ecologia" na 14ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro. De forma clara e objetiva, o livro instiga o leitor a perceber que as múltiplas crises que experimentamos na atualidade (econômica, ambiental, social, ética) demandam uma nova percepção da realidade e um nível de comprometimento maior com a vida em suas mais diversas manifestações. O livro, o primeiro editado pela FEB inteiramente em papel reciclado, ainda traz um minidicionário ambiental com 140 verbetes extremamente úteis para consultas e estudos."




-


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

TERRA AMBIENTAL divulga AVAAZ: O fim das baleias?


Caros amigos,
Muitas baleias estão entre o 1/3 de toda a vida no planeta que está à beira da extinção. Governos estão se reunindo esta semana para considerar um plano ousado de proteger 20% dos oceanos e terra firme até 2020.

Nós só temos alguns dias e um chamado internacional poderá fazer a diferença. Clique para assinar a petição pelo plano 20/20 e encaminhe este alerta:


Hoje existem apenas 300 baleias francas do atlântico norte e 99% das baleias azuis já foram eliminadas. Estes majestosos gigantes estão ameaçadas de extinção e seu caso está sendo usado como exemplo repetidamente. Mas na realidade, um terço de todas as formas de vida no planeta estão à beira da extinção.

O mundo natural está sendo esmagado pela atividade humana, poluição e exploração. Mas existe um plano para salvá-lo - um acordo mundial para criar, financiar e implementar áreas protegidas cobrindo 20% das nossas terras e mares até 2020. Agora mesmo, 193 governos estão reunidos no Japão para enfrentar esta crise.

Nós só temos 3 dias até o fim desta reunião crucial. Especialistas dizem que os políticos estão hesitantes em adotar um objetivo tão ambicioso, mas que um clamor público mundial poderá fazer a diferença, mostrando aos governantes que os olhos do mundo estão sobre eles. Clique para assinar a petição urgente e encaminhe este email amplamente - a mensagem será entregue diretamente para a reunião no Japão:

http://www.avaaz.org/po/o_fim_das_baleias/?vl

Ironicamente 2010 é o Ano Internacional da Biodiversidade. Os nossos governos já deveriam estar caminhando para "uma redução significativa da taxa atual da perda da biodiversidade". Eles falharam repetidamente, cedendo para a indústria e trocando assim a proteção das espécies por lucros limitados. Nossos animais, plantas, oceanos, florestas, solos e rios estão sufocando sob fardos imensos de super-exploração e outras pressões.

Os seres humanos são a principal causa desta destruição. Mas podemos reverter a situação - já salvamos espécies da extinção antes. As causas do declínio da biodiversidade são vastas e salvá-la vai exigir uma guinada das promessas vagas, sem clareza de quem financia a proteção, para um plano ousado, com fiscalização rigorosa e financiamento sério. O plano de 20/20 é justamente isto: os governos serão forçados a executar programas rigorosos para garantir que 20% das nossas terras sejam protegidas até 2020, e para isso aumentar drasticamente o financiamento.

Tem que ser agora. Em todo o mundo o quadro está cada vez mais sombrio - há apenas 3.200 tigres na natureza, os peixes dos oceanos estão se esgotando e nós estamos perdendo fontes de alimentos ricos para a monocultura. A natureza é resistente, mas temos que prover espaços seguros para ela se recuperar. É por isso que esta reunião é fundamental - é um momento decisivo para acelerar ações baseadas em compromissos claros para proteger nossos recursos naturais.

Se os nossos governos sentirem a pressão esmagadora do público para serem corajosos nós podemos convencê-los a aderirem ao plano de 20/20 nesta reunião. Mas para isto vamos precisar que cada um de nós que está recebendo esta mensagem, faça-a ecoar até chegar na convenção no Japão. Assine esta petição urgente abaixo e depois encaminhe-a amplamente:

http://www.avaaz.org/po/o_fim_das_baleias/?vl

Este ano os membros da Avaaz tiveram um papel fundamental na proteção dos elefantes, defendendo a proibição da caça às baleias, e garantindo a maior Reserva Marinha do mundo nas Ilhas Chagos. Nossa comunidade tem mostrado que podemos definir objectivos ambiciosos - e vencer. Esta campanha é a próxima etapa na batalha essencial para criar o mundo que a maioria de nós em todos os lugares querem - onde os recursos naturais e das espécies são valorizados e o nosso planeta está protegido para as futuras gerações.

http://www.avaaz.org/po/o_fim_das_baleias/?vl

Com esperança,

Alice, Iain, Emma, Ricken, Paula, Benjamin, Mia, David, Graziela, Ben, eo resto da equipe da Avaaz

Leia mais:

Estudo revela risco de extinção enfrentado por diversas espécies animais
http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2010/10/estudo-revela-risco-de-extincao-enfrentado-por-diversas-especies-animais.html

Sob risco de colapso
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20101027/not_imp630350,0.php

Planeta precisa dobrar área continental protegida para conservar a biodiversidade
http://colunas.epoca.globo.com/planeta/2010/10/25/criar-mais-areas-protegidas-e-o-caminho-para-conservar-a-biodiversidade/

Brasil rejeita acordo parcial sobre biodiversidade
http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,brasil-rejeita-acordo-parcial-sobre-biodiversidade,630071,0.htm






A Avaaz é uma rede de campanhas globais de 5,6 milhões de pessoas
que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas internacionais. ("Avaaz" significa "voz" e "canção" em várias línguas). Membros da Avaaz vivem em todos os países do planeta e a nossa equipe está espalhada em 13 países de 4 continentes, operando em 14 línguas. Saiba mais sobre as nossas campanhas aqui, nos siga no Facebook ou Twitter.



http://terraambiental.blogspot.com

TERRA AMBIENTAL-WWF divulga: Participe e concorra a uma viagem à Amazônia com o WWF-Brasil.


Por que você precisa da natureza pra viver?  Cuidar da natureza é cuidar da vida.
Responda a esta pergunta e ganhe uma viagem a Amazonia com a equipe do WWF-Brasil.
Você, que já nos ajuda muito, vai sentir toda a
emoção de conhecer pessoalmente o trabalho
de salvar a natureza.
Responda Agora!
Com o concurso cultural "Vá para a Amazônia com o WWF-Brasil", você vai se sentir
mais participativo do que nunca na luta pela conservação do meio ambiente. E ainda
pode ganhar a viagem da sua vida. É muito simples participar:

Acesse o site http://cuidardanatureza.wwf.org.br.

Na home do site, clique no nome do concurso para abrir a página de inscrição.

Preencha os campos com os seus dados e responda a pergunta.

Seja criativo e original. Use como base para a resposta o conteúdo do próprio site. A melhor resposta ganhará uma viagem para conhecer o trabalho do WWF-Brasil na Amazônia.

Participe! Capriche bastante na sua resposta. Contamos com você nesta
aventura amazônica.
Responda Agora!

O envio de emails não solicitados [SPAM] não é permitido em nossos sistemas.

Se recebeu esta mensagem como SPAM, por favor denuncie-nos o seu emissor.


WWF-Brasil - Av. 9 de Julho, 5593 cj 121, Sao Paulo, 01407200, Brasil


TERRA AMBIENTAL

http://terraambiental.blogspot.com



segunda-feira, 25 de outubro de 2010

O NEGÓCIO É SER NATURISTA!

6 produtos perigosos que usamos todos os dias

Livia Aguiar 25 de outubro de 2010

Homens se gabam de serem simples, em comparação as mulheres e todas as opções de produtos de beleza femininos disponíveis no mercado. Mas de alguns ítens é difícil escapar: desodorante, shampoo, condicionador, perfume, creme de barbear… Cada um deles possui diversos ingredientes que podem fazer mal a você e ao planeta.

Duvida? Leia esta lista e desconfie das letras minúsculas dos rótulos dos produtos que você tem em casa.

Espuma de barbear

São tão malignos que você não quer nem saber o que há neles. Sério.

Se ficou curioso, veja a lista: butano (o conhecido gás de cozinha), uréia de diazolidinyl (que libera formaldeído, substância que pode causar dificuldades respiratórias), trietanolamina (um importante ingrediente do gás mostarda, arma química criada durante a Primeira Guerra Mundial e que pode causar câncer), parabeno (que enfraquecem imitadores de estrogênio, presentes nas pílulas anticoncepcionais).

Para ficar longe de todas essas toxinas, faça a barba com óleos orgânicos, como óleo de amêndoas, géis de barbear ou adote um visual lenhador e não faça a barba.

Pós-barba

Se você decidiu parar de fazer a barba, pule este tópico. Se não… jogue fora o seu pós-barba. Ele contém álcool, que seca a pele quando ela precisa de hidratação. Água fria é suficiente para fechar os poros após a raspagem dos pelos.

Shampoo

Para fazer espuma, o Lauriléter sulfato de sódio e seus derivados são bastante utilizados. Há grandes chances de eles serem causadores de câncer. O shampoo também pode conter parabeno (o mesmo que está presente na espuma de barbear).

Perfume

A maioria dos perfumes e águas de colônia (femininos e masculinos) possuem diversos produtos químicos que podem afetar o esperma. Pois é, muitas marcas possuem petroquímicos, parabeno e ácido pthalic em sua fórmula, que podem afetar a quantidade e velocidade dos espermatozóides, além de causarem danos no DNA dos pequenininhos. Tenso.

Desodorante e antitranspirante

Costumam conter os seguintes ingredientes "do mal":

Triclosano: antibactericida, ele deixa as bactérias mais resistentes e pode até mudar o sexo dos peixes (!).

Sais de alumínio: são uma neurotoxina que pode estar associada ao mal de Alzheimer (aquele da perda de memória, lembra?).

BHT: são menos utilizados na fabricação de desodorantes, mas muito perigosos. Estudos relacionam a substância ao surgimento de câncer, podem afetar o sistema nervoso e são classificados como "provavelmente tóxicos e prejudiciais" pela Lista de Sustâncias Domésticas do Departamento de Meio Ambiente do Canadá. Nossos avós usavam talco nas axilas – e depois deste post, acho que vou aderir à prática.

Hidratante

Possui mais de 30 substâncias que vêm do petróleo, contêm silicone e outros ingredientes malignos para você e para o planeta. Substitua por produtos orgânicos à base de manteira de karité ou use óleos naturais.



http://super.abril.com.br/blogs/planeta/6-produtos-perigosos-que-usamos-todos-os-dias/

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Troquem a vossa garrafa de plástico por uma SIGG!

Troquem a vossa garrafa de plástico por uma SIGG!

DEPOIS DE SALVADOR,CHEGOU A VEZ DE FORTALEZA


21/10/2010 - 22h47

Justiça Federal determina demolição das barracas da praia do Futuro, em Fortaleza

Publicidade

 

PAOLA VASCONCELOS
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, EM FORTALEZA

A Justiça Federal no Ceará determinou a desocupação e demolição das barracas da praia do Futuro, um dos principais pontos turísticos de Fortaleza (CE), por considerar que as construções são irregulares e impedem o livre acesso da população à área.

A decisão foi proferida quarta-feira pelo juiz José Vidal Silva Neto, da 4ª Vara Federal e divulgada nesta quinta-feira. Ela atende a uma ação civil pública proposta pelo Ministério Público Federal, pela União e Prefeitura de Fortaleza contra 154 proprietários de estabelecimentos comerciais instalados nesse trecho do litoral cearense.

As estruturas que compõem as barracas --como piscinas, lagos, tendas, parques aquáticos, muros, cercas e cordas-- também devem ser retiradas, diz a Justiça, para deixar o local "livre de resquícios de tais intervenções humanas".

Além disso, Neto determina que os donos das barracas recomponham as áreas de meio ambiente utilizadas indevidamente. A ação tramita desde 2005.

Conforme o Ministério Público Federal, as barracas ocupam faixa de praia, área de uso comum do povo onde construções são proibidas por lei.

Além disso, diz a Procuradoria, há barracas sem registro de inscrição ou ocupação na Gerência Regional de Patrimônio da União e outras que ultrapassaram os limites concedidos.

De acordo com a ação, os proprietários das barracas realizaram obras e construções sem estudos ou relatórios de impacto ambiental.

Conforme o procurador da República Alessander Sales, apesar de a decisão da Justiça Federal ter efeito imediato, ainda cabe recurso. No entanto, ele diz que, por se tratar de ação civil pública, não tem efeito suspensivo e somente outra ação do Tribunal Regional Federal poderá impedir a demolição.

De acordo com ele, os três autores da ação, junto com o Estado, vão definir como será a demolição, "a etapa mais difícil dos últimos cinco anos".

"Não é interesse do Ministério Público demolir o que está construído e deixar a área de qualquer jeito. O que nós vamos buscar junto ao município, Estado e União é tentar criar um projeto de requalificação urbana para a área. As barracas, onde elas estão, não podem ficar", disse Sales.

A presidente da Associação dos Empresários da Praia do Futuro, Fátima Queiroz, disse que os donos e funcionários das barracas estão se mobilizando e vão recorrer da decisão.

Segundo ela, as barracas recebem um público de 100 mil pessoas por semana e geram 3.000 empregos, na baixa estação, e cerca de 4.500, na alta.

"As barracas da Praia do Futuro são uma âncora do turismo do Ceará e muito importantes não só para o setor como também para a população de Fortaleza. Se forem demolidas, a cidade ficará órfã", disse.

A Prefeitura de Fortaleza informou que só vai se pronunciar sobre o assunto quando for notificada oficialmente.


Enviado por Almiro Leal/BA

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

TERRA AMBIENTAL-AVAAZ: Verde na Plataforma!



Caros amigos,
Com milhões de votos verdes ainda indefinidos, os candidatos estão se revirando para provar que eles têm uma preocupação ambiental. Mas até agora foram apenas promessas vazias. Assine a petição aos candidatos pedindo compromissos firmes com o meio ambiente em um debate público:


Os quase 20 milhões de votos para a Marina Silva provaram que políticas ambeintais são fundamentais para os eleitores brasileiros. Agora os candidatos estão fazendo de tudo para ganhar votos verdes!

Nós não podemos deixar Dilma e Serra se safarem com promessas superficiais. Nós temos menos de duas semanas para conseguir compromisos claros nos maiores desafios amientais que o próximo presidente irá enfrentar: mudanças climáticas, desmatamento e investimento em energia sustentável.

Não temos tempo a perder! Clique para assinar a petição pedindo para ambos os candidatos firmarem os seus compromissos ambientais em um debate público:

http://www.avaaz.org/po/verde_nas_eleicoes/?vl

Antes do primeiro turno Dilma e Serra praticamente ignoraram o meio ambiente, mas agora ganhamos a sua atenção. Não importa se já escolhemos o nosso candidato ou não, chegou a hora de nos unirmos acima da política partidária para pressionar ambos os candidatos a terem uma plataforma ambiental forte para lidar com os grandes desafios que o nosso país e o mundo enfrentam hoje.

Nós precisamos de um Presidente que possa provar ao mundo que uma economia emergente pode crescer de forma sustentável, protegendo nossos preciosos recursos naturais ao mesmo tempo. Vamos ser claros no que queremos: alguém que será uma liderança crucial nas negociações climáticas internacionais, alguém que irá proteger o Código Florestal para reverter o desmatamento e um governo que irá investir em energia solar e eólica para reduzir as emissões de carbono.

Nós estamos trabalhando com nossos amigos do Greenpeace para garantir que o nosso recado chegue aos candidatos e que eles sejam assim forçados a responder aos eleitores, colocando o meio ambiente no centro das suas plataformas eleitorais. Nós temos menos de duas semanas para mostrar aos candidatos que nós somos fortes e numerosos, assine agora!

http://www.avaaz.org/po/verde_nas_eleicoes/?vl

Nós vimos o que a nossa comunidade já fez para combater a corrupção e proteger o meio ambiente. Se continuarmos juntos e crescendo, nós deixaremos claro para o próximo Presidente que as nossas demandas não podem ser ignoradas.

Com esperança,

Stephanie, Ricken, Graziela, Ben, Alice, Mia e toda a equipe Avaaz

Leia mais:

Greenpeace quer debate com Dilma e Serra sobre meio ambiente:
http://www.band.com.br/jornalismo/eleicoes2010/conteudo.asp?ID=100000356749

Candidatos buscam os votos de Marina Silva:
http://www.odiario.com/politica/noticia/356211/candidatos-buscam-os-votos-de-marina-silva.html

Dilma e Serra à caça do voto verde:
http://dn.sapo.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1678226&seccao=CPLP






A Avaaz é uma rede de campanhas globais de 5,6 milhões de pessoas
que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas internacionais. ("Avaaz" significa "voz" e "canção" em várias línguas). Membros da Avaaz vivem em todos os países do planeta e a nossa equipe está espalhada em 13 países de 4 continentes, operando em 14 línguas. Saiba mais sobre as nossas campanhas aqui, nos siga no Facebook ou Twitter.



-

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

EM SALVADOR-BAHIA:Seminário Espiritismo e Ecologia


 



Seminário Espiritismo e Ecologia


Data: 27 de Novembro de 2010
Horário: 09:00 às 12:00 e 14:00 às 18:00hs
Local: Auditório da Faculdade de Engenharia - Escola Politécnica - UFBA
Rua Aristides Novis, 02, Federação. (Ponto de referência: próximo do Campo Santo)


Realização: Sociedade Espírita O Semeador e FEB
Lançamento do Livro "Espiritismo e Ecologia" do jornalista André Trigueiro


Entrada Franca
(Por ordem de chegada. Não teremos inscrições antecipadas)


O Livro "Espiritismo e Ecologia" será vendido no dia do evento ao preço de R$ 20,00.


Pintura Mediúnica com Florêncio Anton


Peça Teatral "Acode a Natureza"

Programação:

09:00 às 09:50 - Peça Teatral "Acode a Natureza"
09:50 às 10:20 - Intervalo
10:20 às 11:30 - Pintura Mediúnica
11:30 às 12:00 - Leilão dos Quadros

14:00 às 15:30 - Palestra "Espiritismo e Ecologia" - André Trigueiro
15:30 às 16:00 - Intervalo
16:00 às 17:30 - Debates com Perguntas e Respostas
17:30 às 18:00 - Sessão de Autógrafos


Informações: (71) 9981-8777 / 8822-5110 / 8836-1377 


           Enviado por Francisco Cortizo/BA_,_.__

sábado, 16 de outubro de 2010

Cine’Eco 2010

Cine’Eco 2010

TERRA AMBIENTAL informa: Xixi a seco

TENDÊNCIAS

Xixi a seco

Mictórios sem água economizam cerca de 150 mil litros de água por ano.

por Alexandre Versignassi e Ana Luiza Daltro

Responda rápido: o que o Taj Mahal, o aeroporto de Dubai e o estádio do Barcelona têm em comum? Mictórios sem água - o xixi passa por uma camada de óleo que deixa a urina atravessar e segura os gases, selando o mal cheiro. A estimativa é que cada um economize 150 mil litros de água por ano. Até outro dia eles praticamente não existiam. Hoje há 200 mil no mundo. E o governo americano estuda torná-los obrigatórios em prédios públicos. Adeus descarga. 

55 mil litros por segundo é quanto de água os mictórios secos já economizam no mundo


Fonte: http://super.abril.com.br/cotidiano/xixi-seco-598603.shtml



http://terraambiental.blogspot.com 

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

SERRA VETA PROJETO DE LEI DAS SACOLAS BIODEGRADÁVEIS





SERRA VETA PROJETO DE LEI DAS SACOLAS BIODEGRADÁVEIS

Para o autor do projeto, deputado estadual Sebastião Almeida (PT), o governador atendeu ao lobby das indústrias de plástico

O governador José Serra (PSDB) vetou o projeto de lei 534/07, que exigia a adoção de sacolas plásticas oxibiodegradáveis por parte dos estabelecimentos comerciais de São Paulo.

O veto foi publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta (27/7). Para o autor do projeto, deputado estadual Sebastião Almeida (PT), o Executivo desperdiçou uma grande chance de ampliar o debate em torno das sacolas de plástico utilizadas pelo comércio. "O veto é questionável, na medida em que outros Estados do país estão adotando os materiais degradáveis", diz Almeida.

O deputado estadual lembra que a Secretaria Estadual do Meio Am biente apresentou argumentos técnicos discutíveis para convencer Serra a vetar o projeto. "A impressão que se tem é que se ouviu apenas um lado nessa discussão. Parece que o lobby das indústrias de plástico influenciou a decisão do secretário Xico Graziano", destaca.

Almeida lembra que iniciativas semelhantes ao projeto de lei 534/07 começam a se espalhar por todo o país. Algumas grandes redes de supermercado de cidades como Curitiba e Maringá (PR) e Campinas (SP) aderiram ao plástico oxibiodegradável sem que houvesse imposição da lei. "Mas a maioria dos supermercadistas ainda não despertou para o problema do lixo produzido com essas sacolas, sobretudo porque não têm qualquer responsabilidade sobre isso", lembra o deputado.

Segundo Almeida, ninguém é a favor de continuar despejando plástico na natureza, nem mesmo se ele for composto por material biodegradável. "Não se pode ignorar o problema e deixar tudo como está. Desde 1994, o Estado de São Paulo é governado pelo PSDB, que não fez nada para resolver os problemas com o esgoto das cidades da região metropolitana. Agora vão fechar os olhos para a questão do lixo", diz Almeida.

O deputado acredita que o governador José Serra pode se arrepender do veto ao projeto no futuro. "Estados como o Rio de Grande do Sul e Paraná já têm projetos tramitando em suas Assembléias Legislativas. No Rio de Janeiro, o próprio governador Sérgio Cabral (PMDB) demonstrou interesse em enviar um projeto nesse sentido para apreciação dos deputados estaduais", diz Almeida. "Além disso, existe iniciativa semelhante no Congresso Nacional".

As sacolas oxibiodegradáveis são produzidas a partir da inclusão de um aditivo no processo de produção do plástico. Ele acelera a decomposição do material numa velocidade até 100 vezes maior. Ou seja, um plástico que demoraria 300 anos para desaparecer no ambiente não dura mais do que três anos com essa tecnologia. ( Release Ex-Libris-Comunicação Integrada)
Fonte: GreenpeaceBR








quarta-feira, 13 de outubro de 2010

8 grandes erros e 1 pequeno acerto do SWU



Redação Super 13 de outubro de 2010

por Felipe van Deursen, em Itu (SP)

Foto: Lailson Santos

O festival de música SWU (Starts With You), realizado entre os dias 9 e 11 em uma fazenda de Itu (SP), arrastou uma multidão estimada em 165 mil pessoas para conferir dezenas de atrações internacionais e nacionais. No casting, destaque para o brilhante show do Queens of the Stone Age, para a primeira e arrasadora apresentação no país dos americanos do Rage Against the Machine (RATM), pelo primeiro show em São Paulo (tá, quase SP) dos heróis indies Pixies e, pela reunião, pela primeira vez, em 14 anos, de Iggor e Max Cavalera, ex-Sepultura, no mesmo palco no Brasil, com o Cavalera Conspiracy.
O primeiro festival brasileiro nos moldes de grandes festivais britânicos (Glastonbury, Reading) e americanos (Coachella, Lollapalooza) primou, na divulgação, pelo belo discurso da sustentabilidade. A SUPER acompanhou o SWU e constatou que apesar do show de música, na prática, como já se suspeitava, o modo sustentável de viver e consumir escorreu como óleo de cozinha pelo ralo.

Listamos 8 falhas (in)sustentáveis do SWU. Confira:

1 – O caos do transporte
A sinalização na estrada era fraca e confusa. Faltava informação nas faixas e placas indicando para os estacionamentos. Também não ficava claro o que era o tal do "bolsão" (locais afastados da fazenda de onde partiriam ônibus para o evento) e o que era estacionamento de fato, junto ao festival. E, para completar, de nada serviam os tíquetes para a volta aos bolsões: principalmente no primeiro dia, no tumulto após o show do Rage Against the Machine, quando um fila de carros parados por quase 3 horas lotou a estrada estreita de terra da saída da fazenda, os ônibus já não davam mais conta de transportar só quem realmente havia comprado o bilhete.
A bagunça descontrolada não deu lugar a qualquer forma de ordem, seja em forma de trânsito coordenado, filas que funcionam ou um mínimo respeito ao consumidor. E ainda por cima, no primeiro dia, teve gente que andou a pé até a rodovia, correndo sérios riscos de um atropelamento bobo. A imagem dos carros parados em fila, com uma multidão caminhando a passos lerdos, lembrava uma cena de filmes apocalípticos, como O Dia Depois de Amanhã ouIndependence Day.

2 – Comida própria? Só no camping
Ninguém entrava com comida própria na área do festival. A organização pode argumentar que isso estava explicitado no site, mas a prática não é comum em festas grandes – ainda mais quando há inclusive campings. Para completar, todos os alimentos que as pessoas levaram eram jogados fora, formando uma pilha admirável de comida desperdiçada. Ao público, restava ter que se alimentar de hambúrgueres e minipizzas caros (R$ 12 o xis-burguer, por exemplo). Comida vegetariana era rara e acabou rápido. Azar de quem não comia carne…
E o problema maior é que, para comer, você precisava antes comprar as fichas…

3 – Fichinhas diárias para usar na área de alimentação
Isso mesmo. Fichas, dessas de quermesse, para comer e beber nas praças de alimentação. E o pior: elas só tinham validade por um dia. Tá que as fichinhas ajudam na organização do caixa, mas o argumento de que elas eram de papel reciclado (sim, elas eram!) é tão caído que nem merece ser estendido. Que se pensasse em algo não tão descartável.
Só que o problema não parava aí. Na hora de comer e beber, é claro, tudo era servido em…

4 – Pratos de isopor e copos de plástico
Ninguém quer se sujar além da conta. Mas um pratinho de isopor é dispensável para comer qualquer gororoba seca e dura. Bastava um guardanapo. Mas não, tudo já vinha servido assim. E a bebida, mesmo em lata, vinha acompanhada de um copo plástico. Sim, plástico. O que mostra que curiosamente os estandes de ONGs e as instalações sustentáveis não serviram de aprendizado para o festival reduzir o lixo. Bom, você poderia pensar em levar sua caneca de estimação, aquela que o acompanha em grandes festas há vários carnavais, correto? Pois é, não. Você não podia entrar com ela, mesmo sendo de plástico. Ameaça à segurança, talvez?

5 – Poucas latas de lixo
Havia alguns pontos de coleta, feitos de material reciclado, e a sinalização era bastante clara dos latões – o que era destinado a dejetos recicláveis e o que não era. Mas isso é um avanço tão pequeno que soa como nada mais que obrigação em um festival que se diz sustentável. Além disso, as latas eram poucas, insuficientes para o público.
Bom, mas também não custava muito segurar a latinha ou o copo até encontrar o lixo mais próximo. Questão de educação.

6 – Fóruns mal divulgados
Havia muita gente interessante para ouvir nos debates sobre minorias, economia sustentável e políticas de meio ambiente. Mesmo depois de uma maratona de 10 horas de shows e um perrengue para sair do festival, havia gente interessada e participando: o espaço dos fóruns, que tinha capacidade para 1000 pessoas, chegou a ficar lotado e com pessoas sentadas no chão em várias palestras. Porém, já que se tratava de um festival verde, as atrações internacionais do fórum mereciam mais destaque. Não que fosse necessário, muito menos coerente (marqueteiramente falando) colocar um pesquisador da USP ao lado do Linkin Park no topo de atrações confirmadas. Mas pelo menos chamar a atenção do público fora da tenda dos fóruns, exibir nos telões o que se falava lá dentro (por mais que a transmissão pela internet estivesse funcionando. Mas quem estava lá na fazenda não era informado do que estava rolando).
Mas será que oferecer debates sobre conscientização no meio de um festival de música em que as pessoas se deslocaram especialmente para ouvir música e ver de perto bandas queridas é o ideal? Pode facilitar o acesso, mas quem realmente se importa vai atrás por outras vias de informação. Ou seja, ela guarda o panfleto da palestra para procurar saber mais sobre determinado assunto quando voltar para casa e estiver sóbrio e descansado.

7 – Excesso de marketing verde
A impressão que se tinha era que a bandeira sustentável do evento servia mais para mostrar as novas políticas dos patrocinadores, o que não deixa de ser legal. É bom saber que agora a Coca-Cola investe mais em embalagens bem menos agressivas ao meio ambiente, por exemplo. Mas faltou incentivar o público a agir. Poderiam dar sacolas retornáveis para guardarem o próprio lixo ou então uma semente para plantarem em um descampado ao lado do festival. Ideias não faltam. Certo, havia a ideia divertida da roda-gigante movida a pedaladas. Aham, senta lá, Claudia, pedala…

8 – Banheiros nos campings
Quem se arriscou a acampar teve que encarar banheiros químicos sem papel, e muitas vezes com muita fila. Para tomar banho, esperava-se até 3 horas. Isso por uma chuveirada supostamente econômica. Só que, convenhamos, 7 minutos de água corrente por pessoa não é lá muito sustentável. Esperto o sr. Maeda, dono da fazenda e pesqueiro onde foi realizado o festival. Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo (http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20101002/not_imp618572,0.php), disse que economia de água de verdade é entrar debaixo do chuveiro, molhar-se, desligar a água, limpar-se, ligar a água, enxaguar-se e ponto final.

O (pequeno) acerto: estacionamento caro pode funcionar
Se houve algum ponto positivo na estrutura do transporte, por mais torto que seja o argumento, é o fato de haver um preço exorbitante para guardar o carro para quem fosse com menos de quatro pessoas no carro: R$ 100 nos estacionamentos e R$ 50 nos bolsões. Havendo quatro ou mais pessoas, pagava-se R$ 50 e R$ 30, respectivamente. O preço acabou forçando muita gente a combinar carona. Às vezes é preciso sentir no bolso para mudar o comportamento.


Fonte: http://super.abril.com.br/blogs/superlistas/8-grandes-erros-e-1-pequeno-acerto-do-swu/

POR QUÊ SEMPRE HÁ OBSCURIDADE ENVOLVENDO MUDANÇA DE LEGISLAÇÃO E INTERESSES PRIVADOS EM SALVADOR?




13/10/2010 às 10:19
  | COMENTÁRIO (0)

Prefeitura de Salvador desapropria terreno da Aeronáutica

Regina Bochicchio | A TARDE

Apesar da proibição constitucional e do Decreto-lei 3.365/41, a Prefeitura de Salvador publicou decreto de utilidade pública para desapropriação de uma área da União na orla da capital. O terreno desapropriado em Ondina pertence à Aeronáutica e dará lugar a uma pista de acesso ao residencial Costa España, empreendimento de alto padrão que está sendo erguido onde funcionou o Clube Espanhol.

O Decreto nº 20.059 de 29/09/2010 cita os pontos da poligonal (área a ser desapropriada) de forma pouco específica, informando, genericamente, que o terreno seria utilizado para "plano de urbanização e de obras de abertura, conservação e melhoramento de vias ou logradouros públicos e para preservação da paisagem local (...) conforme projeto aprovado". Mas não diz qual é o projeto.

O promotor de Meio Ambiente Sérgio Mendes informou que o Ministério Público baiano (MP-BA) investiga, preliminarmente, a regularidade do decreto e do empreendimento, executado pelo consórcio OAS/Cosbat/Gafisa/Nova Pex.

A equipe de A TARDE vem apurando a informação contida no decreto desde o último dia 1º e pediu  a dois especialistas em urbanismo (que preferem o anonimato) para localizar o terreno, a partir das coordenadas contidas no documento, resultando na identificação da área em Ondina. A TARDE procurou a Aeronáutica, em Brasília, que, por meio de nota do Centro de Comunicação Social, atestou a posse da área. Segundo o órgão, o processo já se encontra na Advocacia Geral da União (AGU), no escritório local do Núcleo de Assessoramento Jurídico (NAJ-BA).

A TARDE tentou ouvir o coordenador do NAJ-BA, Manoel Oliveira Muricy, por telefone, anteontem, no órgão, sem obter retorno. Na casa dele, a esposa informou que Muricy estava "repousando e não podia atender", ficando de retornar – o que não ocorreu até o fechamento da edição.

Doação - "O terreno foi doado à União - Comando da Aeronáutica, por meio do Termo de Acordo e Compromisso, entre a Prefeitura de Salvador e a Companhia de Comércio, Imóveis, Construções, Engenharia Civil e Aeroportuária, em 27 de abril de 1977", informa a Aeronáutica, acrescentando que a área é registrada no 1º Ofício do Registro de Imóveis e Hipoteca e o processo de regularização está na Superintendência do Patrimônio da União, responsável por passar a posse à Aeronáutica.

A maquete do Costa España no Shopping Barra e imagens na internet para a venda dos imóveis confirmam que a área da Aeronáutica aparece como futura pista de acesso ao empreendimento.

O decreto é assinado pelo prefeito João Henrique e determina que a desapropriação fica a cargo da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, Habitação e Meio Ambiente (Sedham). O prefeito foi procurado mas, para o secretário de Comunicação, Ipojucã Cabral, quem deve se pronunciar sobre o assunto "é a Sedham".

Procurado pela reportagem (nos dias 6, 7 e 8), o titular da pasta, Paulo Damasceno, não atendeu às ligações feitas para o celular dele. A assessora de imprensa Ana Lúcia Andrade, procurada desde o dia 4, por e-mail, informou, no dia 8, que Damasceno estava viajando e só retornaria após o feriado. Mas adiantou que "o referido decreto  foi publicado em época anterior à chegada de Paulo Damasceno à esta Sedham (...)", e que o secretário precisa  "inteirar-se do assunto para se pronunciar". À época, a secretaria era dirigida por Antônio Abreu, que também não foi localizado.

Em nota OAS garante legalidade -
Questionada pela reportagem sobre a legalidade da utilização da área da Aeronáutica para construção de um acesso ao empreendimento, a empresa OAS, uma das empresas do consórcio responsável pelo Costa España, por meio de sua assessoria de imprensa, enviou nota de esclarecimento defendendo que age dentro da lei.

"A OAS Empreendimentos, Cosbat, Gafisa e Nova PEX informam que têm todas as licenças e autorizações para a construção do empreendimento Costa España, em Ondina. O projeto arquitetônico foi submetido à apreciação dos poderes públicos competentes e está de acordo com as exigências das leis pertinentes", informa a nota enviada para a Redação de A TARDE na sexta-feira.

A TARDE entrou em contato, também, com a Procuradoria Geral do Município (PGM) para saber os parâmetros jurídicos que embasaram o decreto para fins de desapropriação numa área da União. Até o fechamento desta edição, a assessoria da PGM não respondeu aos questionamentos. O promotor de meio ambiente do Ministério Público baiano (MP-BA), Sérgio Mendes, que instaurou procedimento administrativo preliminar para apurar a legalidade do decreto, já teve uma primeira reunião com a Sedham, "pedindo informação e documentos", e deu prazo (faltam dez dias) à prefeitura para enviar as respostas ao órgão.

Além da questão fundiária, o MP-BA também quer saber sobre a autorização para a construção de um prédio de oito pavimentos na orla litorânea, caso do Costa España. "Na questão da paisagem, vai impactar Salvador? Temos de ver tudo isso", afirma o promotor Mendes. Quanto às consequências legais decorrentes do Decreto 20.059, como se trata de um terreno federal, cabe à Advocacia Geral da União informar quais serão os procedimentos adotados. A TARDE aguarda resposta do órgão sobre o caso.

* colaborou Felipe Amorim

Fonte: http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5635179

domingo, 10 de outubro de 2010

A SALVADOR QUE O TURISTA NÃO VÊ!

DOMINGO, 10 DE OUTUBRO DE 2010

Tá bonito isso?

Uma esquina de uma das  ruas mais movimentadas do bairro, a Conselheiro Pedro Luiz , virou deposito de lixo em pleno domingo. Sem fiscalização e com pessoas que não estão nem ai para a preservação do bairro, o resultado só pode ser mesmo essa imundice. O pior é que toda essa porcaria fica bem próximo ao ponto de ônibus, uma falta de educação sem limite , quem descarta o lixo  fora do horário da coleta nem toma conhecimento  do transtorno que causa as pessoas que esperam transporte no local.  Triste Bahia

Fonte: http://blogdoriovermelho.blogspot.com/2010/10/ta-bonito-isso.html

sábado, 9 de outubro de 2010

[via irmaosdeluz Yahoo Grupos] CataZoo


 





Está rolando uma campanha, só que ela está mal divulgada. É o CataZoo.
O
CataZoo é uma campanha idealizada por 5 alunos de Relações Públicas da UNEB, que conta ainda com a parceria da Secretaria Estadual do Meio Ambiente( SEMA ) e visa arrecadar 2 milhões de tampinhas plásticas para o Zoológico de Salvador. Essas tampinhas vão construir um filtro para reduzir o consumo e garantir a qualidade da água para os animais do Jardim Zoológico de Salvador, através de um sistema barato e alternativo. Esse número de tampinhas é suficiente para encher e limpar os cinco tanques, responsáveis pelo sistema de filtragem dos hipopótamos, macacos pregos, antas, aves de rapina entre outros animais.
Mais informações no site: 
http://www.catazoo.blogspot.com/, que mostra toda a idéia da campanha.

AJUDEM REPASSANDO ESSE RECADO.....

           Enviado por Francisco Cortizo/BA

 

__._,_.___

QUE VÍDEO EMOCIONANTE! QUE VERDADE!



Este video para mim é um dos ou até mesmo o melhor que eu ja recebi até hoje. Ja o vi varias vezes e a cada vez me emociono com o texto,imagens e palavras; Uma campanha publicitária de 2008 que as vezes uso nas Doutrinárias!

Abraço,

Trajano