segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Brasil pode economizar R$17 bi por ano com uma Política Nacional de Resíduos


O assunto é foco central de seminário em Brasília, no próximo dia 25 de novembro

Buscar caminhos econômico-sócio-ambientais para o gerenciamento da água e o manejo de resíduos. Este é um dos principais objetivos do Instituto Brasileiro de Ação Responsável e Governo Federal na realização do IX Seminário Nacional de Gestão de Resíduos e Recursos Hídricos no Brasil: Responsabilidade Social Ambiental Público Privado, no dia 25 de novembro, em Brasília. O evento promove, no Interlegis (Senado Federal), um rico debate sobre o tema, com ênfase no desenvolvimento sustentável do Brasil e medidas que possibilitem sua promoção ao patamar dos dez países com maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do mundo.
Partindo da idéia de que água é um recurso esgotável e de valor incomensurável e resíduos são produtos inesgotáveis e de externalidade econômica, ambos são indicadores de desenvolvimento sustentável. O tema Recursos Hídricos já é contemplado nas diversas esferas governamentais, mas ainda necessita de discussão para a criação de novas ações de gestão. Já a questão dos Resíduos pede urgência de um marco regulatório que reduza o passivo ambiental e agregue valor às cadeias produtivas, inclusive, tornado o Brasil mais competitivo internacionalmente.

“O Brasil poderia investir o equivalente a R$17 bilhões todos os anos em saúde e educação, por exemplo, se tivesse uma política adequada de tratamento de resíduos sólidos. A avaliação é do especialista, doutor pela Universidade de São Paulo (USP), Sabetai Calderoni, que realizou uma pesquisa sobre o destino do lixo produzido no país e o quanto ele pode ser valioso se tomado como política de prioridade” (fonte: Danielle Santos, Correio Braziliense, 13/10/2009).

A matéria no jornal destaca também o problema no Distrito Federal: “com cerca de 2,5 milhões de habitantes, apenas 0,01% do lixo é reaproveitado. Um desperdício que poderia render cerca de R$ 200 milhões por ano e gerar mais de 5 mil postos de trabalho”, segundo Sabetai Calderoni. O depoimento do especialista no texto aponta ainda, a falta de estrutura da região para comercializar os resíduos coletados, que acabam sendo enviados a empresas de outros estados, deixando de incrementar o PIB do DF.

Outro ponto de destaque na questão dos resíduos, que vem tendo frequente atenção do GasNet através publicação de matérias, é a questão da produção de biogás em depósitos de resíduos que contenham matéria orgânica, como lixo urbano, esgoto e dejetos animais em propriedades rurais. Como se sabe, o aumento do metano na atmosfera é causa importante no efeito-estufa (uma molécula de metano, CH4, equivale neste aspecto a 21 moléculas do CO2 que a ela corresponderia). Se captado, o biogás pode gerar energia elétrica, e ainda produzir créditos de carbono, além evidentemente de contribuir para uma menor retenção de calor pela camada atmosférica.

O IX Seminário Nacional de Gestão de Resíduos e Recursos Hídricos no Brasil acontece das 9 às 14 horas, no Interlegis, e conta com transmissão via vídeo conferência para as Assembléias Legislativas e vídeo streaming (em tempo real pelo site www.interlegis.gov.br).
Serviço: “IX Seminário Nacional de Gestão de Resíduos e Recursos Hídricos no Brasil”

Data/horário: 25 de novembro (quarta-feira), das 9 às 14h
Local: auditório Antonio Carlos Magalhães do Interlegis (Senado Federal), em Brasília
Realização: Instituto Brasileiro de Ação Responsável e Governo Federal
Instituições Parceiras: Congresso Nacional; Ministério das Minas e Energia; Ministério de Meio Ambiente; Ministério da Integração; Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); Agência Íntegra Brasil e Interlegis.

Coordenação: Íntegra Brasil
Público estimado: 100 profissionais presenciais – Poder Público (legislativo, executivo e judiciário), setor privado (indústrias, comércio, micro e pequenas empresas), redes virtuais, mídias impressas, instituições nacionais e internacionais, escritórios de advocacia, bancos de investimentos, centros de pesquisa, universidades e terceiro setor.

Inscrições e mais Informações: Agência Íntegra Brasil, www.integrabrasill.com.br
Fonte: Caco Araujo/Denise Margis, Íntegra Brasil/Sindcomb Notícias, novembro/09
Enviado por Teylo Vasconcelos/BA

Nenhum comentário: