quarta-feira, 9 de setembro de 2009

SUPERMERCADOS E SUSTENTABILIDADE

EU JA COMPREI MEUS SACOS DE COMPRAS REUTILIZÁVEIS E VOCÊ? VAI CONTINUAR AGREDINDO A NATUREZA COM SACOS PLÁSTICOS? SUGESTÃO:COMPRE AS SACOLAS RECICLÁVEIS E DEIXE GUARDADAS NA MALA DO CARRO,LEVE DE CASA AO IR ÀS COMPRAS.
VEJA MAIS SOBRE O ASSUNTO:
A definição mais aceita para desenvolvimento sustentável é: “O desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual sem comprometer a capacidade de atender às necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro” (Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, ONU).No Walmart, entendemos que é nosso dever reduzir o impacto da nossa operação no meio ambiente. Dessa forma, influenciar o mercado em que atuamos e ser uma ponte entre o fornecedor e o cliente faz parte do dia-a-dia da empresa, com a adoção de práticas e posturas socioambientais mais adequadas.Adotamos a sustentabilidade como diretriz que norteia todas as nossas ações: o trabalho dos nossos funcionários, o relacionamento com os fornecedores, o atendimento ao cliente, a atuação na comunidade e o investimento social.No dia 23 de junho de 2009, o Walmart Brasil realizou o Pacto pela Sustentabilidade, onde assumiu uma série de compromissos envolvendo fornecedores, governo e entidades.
(WAL-MART É O GRUPO PROPRIETÁRIO DA REDE BOMPREÇO DE SUPERMERCADOS.NOTA DO AUTOR DO BLOG)
Wal-Mart anuncia índice de sustentabilidade
por Redação
Segunda-feira, 20 de Julho de 2009

O Walmart anunciou seus planos para desenvolver um índice mundial de produto sustentável durante a reunião com 1500 de seus fornecedores e líderes de sustentabilidade em sua matriz, nos Estados Unidos. O índice estabelecerá uma única fonte de dados para a avaliação da sustentabilidade dos produtos."Os clientes querem produtos que sejam mais eficientes, que durem mais e que tenham melhor desempenho," disse Mike Duke, presidente e CEO do Walmart. "E, cada vez mais, eles querem informações sobre todo o ciclo de vida do produto, para que se sintam bem em relação à sua compra. Eles querem saber que os materiais usados no produto são seguros, que ele foi feito direito e que foi produzido de maneira responsável."Não vemos isso como algo passageiro. As altas expectativas dos clientes fazem parte permanente do futuro," Duke continuou. "No Walmart, estamos trabalhando para tornar a sustentabilidade sustentável, para que seja prioridade independente do momento econômico. Uma parte importante neste processo é desenvolver ferramentas que possibilitem o consumo sustentável."A empresa apresentará a iniciativa em três fases, começando com uma pesquisa com seus mais de 100.000 fornecedores em todo o mundo. A pesquisa possui 15 perguntas que servirão como ferramenta para que os fornecedores do Walmart avaliem seus próprios esforços em relação à sustentabilidade. As perguntas estarão distribuídas em quatro áreas de atenção: energia e clima; eficiência de materiais; recursos naturais, e pessoas e comunidade."A pesquisa incluirá perguntas simples, mas eficientes, cobrindo áreas conhecidas, como a localização das fábricas dos fornecedores, e novas áreas como uso da água e resíduos sólidos," disse John Fleming, diretor de merchandising do Walmart EUA. "As perguntas não são complicadas, mas nunca solicitamos este tipo de informação de forma sistemática anteriormente. A pesquisa é um primeiro passo importante para estabelecermos uma real transparência com nossa rede de fornecedores."Fleming também disse que a empresa pedirá para que seus fornecedores nos EUA completem a pesquisa até 1 de outubro. Fora dos Estados Unidos, a empresa desenvolverá cronogramas para cada país para que os fornecedores completem a pesquisa.Como segundo passo, a empresa está ajudando a criar um consórcio de universidades que colaborarão com os fornecedores, varejistas, ONGs e o governo para desenvolver uma base de dados mundial sobre o ciclo de vida de produtos - da matéria prima até o descarte. O Walmart fornecerá o financiamento inicial para o Consórcio sobre o Índice de Sustentabilidade, e convidou todos os varejistas e fornecedores para que contribuíssem.A empresa também fará parcerias com uma empresas líderes em tecnologia para a criação de uma plataforma aberta que irá alimentar o índice."Não é nosso objetivo criar ou sermos donos desse índice," disse Duke. "Queremos estimular o desenvolvimento de uma base de dados comum que irá permitir que o consórcio junte e analise o conhecimento da cadeia mundial de fornecedores. Achamos que esta base de dados compartilhada trará oportunidades para que sejamos mais inovadores e para melhorarmos a sustentabilidade de produtos e processos."O passo final no desenvolvimento do índice será traduzir as informações em uma graduação simples para os consumidores sobre a sustentabilidade dos produtos. Isso trará aos consumidores transparência quanto à qualidade e o histórico dos produtos aos quais eles não têm acesso hoje.BRASIL
No Brasil, o primeiro passo, que envolve o envio das 15 perguntas para uma seleção de fornecedores da empresa no país terá início já no próximo mês. "Temos diversas empresas parceiras em nossos projetos, incluindo as 20 signatárias do Pacto pela Sustentabilidade, realizada no mês de junho em São Paulo. Não temos dúvida de que a parceria se estenderá também para esse importante passo em prol da transparência ao consumidor e da sustentabilidade", diz Daniela de Fiori, vice-presidente de sustentabilidade do Wal-Mart Brasil."A ideia é que até o final do ano tenhamos uma ferramenta on-line que possibilite ampliar a coleta de informações para os nossos fornecedores", completa DanielaSegundo Helio Mattar, presidente do Instituto Akatu, que esteve na reunião realizada hoje em Bentonville (EUA), 70% dos consumidores brasileiros optariam pela compra de produtos com alguma iniciativa sustentável, se tivessem essa informação.No último mês a empresa realizou uma campanha de vendas, em parceria com 50 grandes fornecedores, entre eles 3M, KimberlyClark, Pepsico, Bombril, Brinquedos Estrela, Colgate, Eletrolux, Kellogg, Johnson&Johnson, intitulada de "Mês da Terra".Um grupo de especialistas avaliou os diferenciais em sustentabilidade de mais de 500 produtos. Destes 350 foram selecionados e receberam destaque nas gôndolas, com informações sobre suas iniciativas e vantagens socioambientais. "Mais do que incrementar a venda, procuramos estimular o consumidor a fazer a troca de produtos, migrando para uma lista de compras mais consciente."O resultado da campanha comprova o que traz a pesquisa do Instituto Akatu, quanto a importância da informação clara ao consumidor. "Alguns produtos alcançaram vendas superiores à 50%, como o sabão em pó Ariel Ecomax, por exemplo", diz Marcelo Vienna, vice-presidente comercial do Wal-Mart Brasil.
ServiçoWal-Mart

O Grupo Pão de Açúcar > Sustentabilidade

Conscientização ambiental
O Grupo investe permanentemente em programas de conscientização ambiental direcionados a todos os públicos com os quais se relaciona. Entre as mais abrangentes medidas adotadas neste sentido, destacam-se as Estações de Reciclagem, projeto pioneiro no varejo brasileiro. Instaladas nas lojas Pão de Açúcar desde 2001, elas atingiram em 2006 a marca de 98 postos de entrega voluntária, nas quais já foram coletadas ao longo destes anos mais de 14,8 toneladas de resíduos. Ancorado no conceito amplo de responsabilidade compartilhada, o projeto vai muito além da coleta de materiais, funcionando como mecanismo gerador de envolvimento de toda a cadeia – desde a indústria, passando pelas prefeituras das cidades onde as lojas estão presentes, os consumidores e as cooperativas de catadores de material reciclável –, gerando renda e trabalho. Além das Estações de Reciclagem, as áreas internas e operacionais do Grupo também são envolvidas nos processos de conscientização e engajamento.
Educação para o consumo consciente
Contribuir para a conscientização sobre a responsabilidade das ações individuais na qualidade de vida do planeta tem servido de base também para as iniciativas de educação para o consumo consciente, direcionadas principalmente para crianças e jovens. Um programa que segue este propósito é o Pão de Açúcar Kids, um espaço lúdico instalado em duas lojas de São Paulo, onde a criança aprende sobre a operação de um supermercado e tem noções sobre consumo consciente. Outro programa é o Cidadão Kids em Ação, direcionado a escolas e demais instituições de ensino, por meio do qual crianças e jovens fazem visitas monitoradas às lojas, nas quais recebem informações sobre fabricação e comercialização dos produtos, além de orientações sobre a importância da reciclagem para a manutenção da qualidade de vida no planeta, entre outras.Na mesma linha, a Empresa mantém o Escola Vai ao Extra, direcionado para crianças entre 5 e 12 anos, que recebem informação sobre o funcionamento da cadeia de consumo, o que lhes permite desenvolver as primeiras noções sobre o papel de cada um na consolidação do conceito de consumo consciente.
(Veja postagem sobre o primeiro supermercado verde da América Latina,construído no Brasil.NOTA DO AUTOR DO BLOG)
Estações de Reciclagem Pão de Açúcar/Unilever
Orientadores ambientais supervisionam cada uma das estações e desenvolvem um importante trabalho de orientação e recebimento dos materiais recicláveis pela população.
Responsabilidade Compartilhada
Desde 2001, a Unilever e a rede Pão de Açúcar de supermercados, com o apoio das suas marcas OMO, Rexona, Knorr e AdeS, operacionalizam o projeto “Estações de Reciclagem Pão de Açúcar Unilever”, que tem como finalidade a instalação de pontos de entrega voluntária (PEVs) de embalagens recicláveis nas áreas externas das lojas da rede Pão de Açúcar. O projeto tem como marco central a aplicação do conceito de "responsabilidade compartilhada", em que a indústria, o varejo, a comunidade, os consumidores e o poder público combinam esforços e ações para o gerenciamento dos resíduos recicláveis.
Pioneiro em seu formato, o projeto “Estações de Reciclagem Pão de Açúcar Unilever” conta atualmente com 103 estações de reciclagem nas áreas externas dos supermercados Pão de Açúcar e está presente em 24 municípios de 8 estados brasileiros: - São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Pernambuco, Ceará, Distrito Federal, Goiás e Paraíba. Desde a sua inauguração, já foram arrecadadas quase 30 mil toneladas de materiais sendo 52% de papel, 22% de vidro, 21% de plástico e 5% entre metal e alumínio. A meta para 2009 é expandir o número de estações de reciclagem para 100% das lojas do Pão de Açúcar no Brasil que possuam estrutura para recebê-las.
O início
A idéia começou em uma fábrica da Unilever na cidade de Vinhedo, em São Paulo. Um sistema de reciclagem para a linha industrial já existia e foi ampliado para os funcionários, que abraçaram a iniciativa. Então, nasceu a oportunidade de amplificar sua abrangência para a comunidade e encontramos no Pão de Açúcar uma parceira que conjugava os mesmos valores para sua realização.
No seu mês de lançamento (abril/2001), o projeto arrecadou mais de 27 mil quilos de material e, até o fim do mesmo ano, conseguiu ampliar seus resultados, coletando mais de 534 mil quilos de material reciclável. O avanço repentino mostra que a sociedade abraçou o projeto, o que trouxe um incentivo para que o número de estações fosse ampliado para mais lojas da rede. E a participação não para de crescer. Apenas em 2008, o projeto arrecadou cerca de 6.400 toneladas de material, o que representa um aumento de quase 30% com relação aos dados de 2007, em que foram arrecadadas 4.900 toneladas.
Em 2007 o projeto deu um passo à frente com a coleta de óleo de cozinha usado. Em pouco tempo as estações já coletaram mais de 160 mil litros de óleo, que foi um grande progresso para a reciclagem e para o destino do produto. Como um diferencial, a Unilever decidiu inovar ainda mais e transformar o óleo coletado nas estações em biocombustível. Com isso, além de conduzir o óleo vegetal de volta ao sistema produtivo, a ação evita a extração de combustíveis fósseis não renováveis.
Ao fazer compras nas lojas participantes do projeto, os consumidores levam para casa sacolas com orientações sobre a separação dos materiais: elas vêm impressas nas cores verde, amarelo, azul e vermelho, que designam internacionalmente o descarte de vidro, metal, papel e plástico, respectivamente. Como medida de orientação, as sacolas trazem no verso informações sobre o tema para que os consumidores posteriormente possam levá-las para as estações e fazer com que o ciclo da reciclagem continue.
Os orientadores ambientais supervisionam cada uma das estações e desenvolvem um importante trabalho de conscientização, que se dá desde a separação correta dos resíduos domésticos até o recebimento dos materiais recicláveis pela população. Além de proteger o meio ambiente, o projeto já gerou mais de 650 posições de trabalho (atendentes e triadores de materiais) ligadas às cooperativas de catadores. Todo o material recebido é doado para cooperativas parceiras nos diversos estados onde está instalado.
O projeto já obteve os seguintes reconhecimentos:
Em 2001: Melhor projeto de Inovação da América Latina – Unilever Innovation Award à Unilever Brasil;
Em 2003: Prêmio FGV de Responsabilidade Social no varejo
Em 2004: Melhor Projeto Ambiental considerado pelo Guia de Boa Cidadania Corporativa da Revista Exame;
Em 2008: Prêmio 7º Marketing Best Responsabilidade Social

Nenhum comentário: