quarta-feira, 2 de setembro de 2009

LIXO HOSPITALAR


Lixo hospitalar: Barreiras contrata serviço de coleta
1/9/2009

www.ibahia.com


O lixo hospitalar de Barreiras, no Oeste do estado, está sendo recolhido por uma empresa especializada, contratada pela prefeitura, para dar um destino adequado ao material.
Misturar o lixo hospitalar com o lixo comum é um perigo para a saúde pública. Materiais como seringas, agulhas e gazes usadas podem espalhar doenças contagiosas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo todo se produz para cada pessoa 60g de resíduos de saúde por mês, o conhecido lixo hospitalar.
Em Barreiras, até bem pouco tempo, o material não era esterilizado e transformado em lixo comum, como exige a lei ambiental. Pela lei, cada órgão de saúde deve ser responsável pelo destino final deste tipo de lixo.
O serviço contratado pela prefeitura contempla a coleta de lixo em hospitais e postos de saúde. “Nós tratamos o lixo pelo sistema de autoclavagem, com uma temperatura de 150°C. Daí, ele é descaracterizado por moagem e descartado no aterro”, explica Fernando Oliveira, diretor da empresa contratada.
O processo de coleta tem que ser cuidadoso, pois há o risco da mistura do lixo hospitalar com o comum ou até mesmo a contaminação com quem manuseia os produtos. “A gente tem que trabalhar com luvas, máscaras e botas. Nós até tomamos um curso para realizar o trabalho”, diz o motorista Danilo Aguiar.
De acordo com a Diretoria Regional de Saúde, hoje algumas clínicas, farmácias e consultórios odontológicos ainda não fazem a destinação correta destes resíduos. Segundo a Vigilância Sanitária, existem de 250 a 300 instituições de saúde em Barreiras. Apesar do risco da destinação incorreta, o órgão ainda não fiscaliza estes locais.
“A fiscalização é impossível de se fazer porque a gente não pode colocar alguém olhando quem vai jogar o lixo. Cabe a cada setor cuidar desta separação do lixo hospitalar do lixo comum”, declara Benjamim Alkimim, diretor de Vigilância Sanitária de Barreiras. O lixo sai de Barreiras para Salvador, mais de 850km, para receber o tratamento e ser descartado.
Clique aqui para ver os vídeos do Bahia Meio Dia

Nenhum comentário: