domingo, 30 de agosto de 2009

CEIA 1 ANO - PARABENS A VOCÊ - OBRIGADO POR TUDO!




Caros AMIGOS,

É com muita alegria que venho informar que nossa CEIA está fazendo 1 ano de vida,ou seja,estamos entrando no ano 2 de nossa modesta contribuição para com aqueles que precisam de nossa ajuda com informação,assistência e educação,além de ser um facilitador para ações materiais sempre úteis.

Obrigado a todos que sempre acreditaram e acreditam na nossa proposta e que Deus nos ilumine a continuar humildemente nessa caminhada com trabalho de formiguinha sempre ajudando a alegrar um coração e levantando a autoestima de quem mais necessita.

Obrigado aos amigos Voluntários que permitem que essa idéia saia do virtual para o real,convencendo e esclarecendo uma minoria cibernética de que o mundo aí fora ainda sofre de muita dor,carece de amor e precisa de paz,começando de dentro da alma.

Vejam o anexo que fiz com carinho para cada um de vocês.

Abraço,

Manoel Trajano

Fundador da CEIA

ASSIM COMO FOI FEITO NA AV.CENTENARIO,VAI SER FEITO NO BATE-FACHO,CUJO RIO CORTA O IMBUÍ.AQUILO É UM RIO QUE PODERIA SER RECUPERÁVEL MAS AO CONTRARIO DO QUE FOI FEITO NA CORÉIA,AQUI NO BRASIL,NA BAHIA,EM SALVADOR É MAIS FÁCIL TAPAR UM RIO,ESCONDÊ-LO TRATANDO-O EQUIVOCADAMENTE E IGNORANDO SUAS CARACTERISTICAS VITAIS DE TROCA DE TEMPERATURA,UMIDADE,AR COM A VIA URBANA.NAO SE FAZ ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL E A POPULAÇAO DEPOIS FICA ADMIRADA COM O ABSURDO.
TRAJANO

Quem vê a água limpa descendo pelo rio Cheonggyecheon, em Seul, na Coréia do Sul, e pode usufruir das áreas verdes que tornaram o centro de cidade mais agradável, não imagina que, até o início desta década, aquela era apenas mais uma zona urbana degradada, a exemplo de tantas outras pelo mundo afora. Para garantir a recuperação ambiental, a prefeitura local tomou decisões radicais, incluindo a demolição de um viaduto que cobria esse canal urbano totalmente poluído. Cerca de 620 mil toneladas de concreto foram ao chão e investimentos de US$ 380 milhões tornaram realidade o que parecia impossível: assegurar a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos a partir da paisagem restaurada.

Veja matéria completa em:
http://ecourbana.wordpress.com/2009/05/23/revitalizacao-impressionante-do-rio-seul/#comment-1249

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

ALARME CLIMÁTICO: LANÇAMENTO NO BRASIL NESTE SÁBADO DIA 29/08/09 - PARTICIPE

Caros amigos brasileiros,

Chegou o momento de salvar o clima. Temos apenas 100 dias para conseguirmos um tratado climático global e evitar uma catástrofe planetária, porém as grandes potências ainda não querem se comprometer.

Nós temos uma escolha a fazer: devemos parar tudo e dedicar setembro à luta contra o aquecimento global?

A Avaaz pretende participar de um “despertar climático” aos chefes de estado no dia 21 de setembro com grupos do mundo todo. Esta será a maior mobilização que nós já fizemos, convocando toda a nossa rede para ir às ruas, soando alarmes e organizando milhares de ações. Chamados de todos os cantos - escolas, escritórios, praças públicas - irão inundar nossos governantes com telefonemas pedindo para eles acordarem para o clima. O barulho deste chamado massivo será levado para todos os países presentes na Assembléia Geral da ONU que acontecerá um dia depois em Nova York.

No Brasil, a campanha será lançada AMANHÃ, sábado dia 29 de agosto em 8 capitais! Clique abaixo para assinar a petição e ver os locais:

http://www.avaaz.org/po/climate_yes_petition_brasil?cl=304436610&v=3856


O objetivo da campanha é ambiciosa: convencer nossos governantes a irem para Copenhague em dezembro e assinarem um tratado global forte, justo e vinculante para deter o aquecimento global.

Discussões sobre um novo tratado têm se estendido por anos e agora, a 100 dias de Copenhague, não há outra saída. Somente uma ação coordenada gigantesca poderá fazer a diferença.

Se lançarmos este objetivo, não estaremos sozinhos. A Avaaz se aliou a uma rede de grupos da sociedade civil global com grupos como Oxfam, WWF e Greenpeace para unir esforços em um movimento climático invencível. Estamos lançando a Campanha Tic Tac no Brasil AMANHÃ para deixar claro que não temos muito tempo para agir. Clique "sim" se você apoia está campanha, ou "não" se você acha que outros assuntos são mais importantes.

Já foi dito que se o povo liderar, os líderes seguirão. Chegou a nossa hora de liderar. Os políticos sabem que precisamos de um novo tratado climático, mas nenhum país quer ser o primeiro. Vamos mostrar que eles não tem escolha: o momento para despertar é agora.

Com esperança,

Ben, Ricken, Taren, Iain, Alice, Paula, Graziela e toda a equipe Avaaz

-------------------------------------------


SOBRE A AVAAZ

Avaaz.org é uma organização independente sem fins lucrativos que visa garantir a representação dos valores da sociedade civil global na política internacional em questões que vão desde o aquecimento global até a guerra no Iraque e direitos humanos. Avaaz não recebe dinheiro de governos ou empresas e é composta por uma equipe global sediada em Londres, Nova York, Paris, Washington DC, Genebra e Rio de Janeiro. Avaaz significa "voz" em várias línguas européias e asiáticas. Telefone: +1 888 922 8229


sexta-feira, 21 de agosto de 2009

ECONEGÓCIOS (POR JORNAL A TARDE)

Conheça esse espaço do JORNAL A TARDE:

http://www.atarde.com.br/econegocios/

Didático,informativo,esclarecedor e conscientizador.

MEIO AMBIENTE PARA JOVENS

CEIA JOVEM


MEIO AMBIENTE
Quando ouvimos falar sobre meio ambiente, pensamos logo em florestas, rios, pássaros e animais em geral. O termo meio ambiente, pode indicar entretanto, qualquer espaço em que um ser viva ou se desenvolva. Desta forma podemos considerar o local onde se resida, trabalhe ou se estuda como parte do meio ambiente.Nosso planeta tem sido alvo de grandes transformações e desequilíbrio, as quais o homem é o maior responsável.
Protejer o ecossistema, não deve ser privilégio de um determinado sistema político qualquer. A obrigação de conservar a diversidade biológica e de melhorar a qualidade de vida deve ser um compromisso racional e natural, de todos, compromisso este para com as gerações presentes e futuras.
O homem deveria se comportar não como dono do mundo, mas, percebendo-se como parte integrante da natureza.
O simples ato de jogar um papel no chão já é um ato de desrespeito para com você, com o próximo e com o ambiente em que se vive e compartilha. Devemos, desde jovens, estar atentos para ações que previnam o desmatamento, a poluição do ar, da água e o desperdício de recursos naturais.
Programas de reciclagem, plantio de mudas de árvores, coleta de lixo e prevenção ao desperdício de água, energia e comida, devem ser estimulados e exercitados por todos os cidadãos do mundo a fim de preservarmos nosso planeta limpo e habitavel para todas as espécies que nele vivem.
Saiba mais sobre: RECICLAGEM, DESMATAMENTO, POLUIÇÃO, POLUIÇÃO DA ÁGUA, CHUVA ÁCIDA, BURACO NA CAMADA DE OZÔNIO, SUPERPOPULAÇÃO, CIDADE SUFOCADA.

Fonte: http://www.ipas.org.br/teen/meioambiente.html

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Sete fenômenos da natureza que pouca gente conhece...

Os fenômenos naturais são absolutamente impressionantes.

Alguns são tão raros, que nem a ciência, com todo avanço tecnológico, é capaz de identificar. Imagine que a natureza nos oferece a possibilidade de vermos várias pedras que se movem sozinhas ou formações geométricas geradas pelo esfriamento de lava.
A seguir você pode acompanhar sete fenômenos impressionantes, que muita gente desconhece.

<< As pedras que se movem
Até hoje ninguém conseguiu explicar por que, misteriosamente, pedras de centenas de quilos deslocam-se do seu ponto de origem pelo deserto de Death Valley. Alguns pesquisadores atribuem tal fenômeno aos fortes ventos e superfície gelada, mas esta teoria não explica, no entanto, por que as pedras se movem lado a lado, em ritmo e direções diferentes. Além disso, cálculos físicos não apóiam plenamente esta teoria. ..
Colunas de Basalto >>
Este fenômeno ocorre com o esfriamento de um fluxo de lava espessa, formando uma malha geométrica com notável regularidade. Um dos famosos exemplos é o Giant´s Causeway, na costa da Irlanda (fotos), embora a maior e mais conhecida seja Devil´s Tower em Wyoming.
.

<< Buracos azuis
Os buracos azuis são gigantes elevações subaquáticas, que levam este nome pela tonalidade de azul que apresentam quando vistos do alto. Normalmente possuem centenas de metros de profundidade e tem ambiente desfavorável para a vida marinha, já que a circulação de água é ruim. Curiosamente, em alguns buracos foram encontrados restos fósseis preservados em suas profundezas. .. . .
Maré vermelha >>
As Marés Vermelhas são formadas pelo súbito aumento do fluxo de algas de cor única, que podem converter uma parte da água em uma cor vermelha sangue. Embora fenômenos desta natureza sejam relativamente inofensivos, alguns podem ser mortais, causando a morte de peixes, aves e mamíferos marinhos. Em alguns casos, até mesmo os seres humanos podem ser afetados, embora a exposição humana não seja conhecida por ser fatal.
. ..
<< Círculos de gelo
Enquanto muitos acreditem que estes círculos perfeitos sejam obra de alguma teoria da conspiração, os cientistas geralmente aceitam que eles são formados por turbilhões d’água que giram em um considerável pedaço de gelo, em um movimento circular. Como resultado desta rotação, outros pedaços de gelo e objetos gerados pelo desgaste uniforme nas bordas do gelo vão lentamente formando um círculo. . .. .
Nuvens Mammatus >>
Aparentemente assustadoras, as nuvens Mammatus também são mensageiras de tempestades e outros eventos meteorológicos extremos. Normalmente compostas de gelo, elas podem se estender por centenas de quilômetros em vários sentidos e formações, permanecendo visíveis e estáticas entre 10 minutos e 1 hora. Embora pareçam portadoras de más notícias, elas são apenas mensageiras, aparecendo antes e/ou depois de uma grande mudança meteorológica..
Quer ver o artigo completo com as fotos?
Artigo enviado pelo Amigo e Engenheiro Antônio Alberto/BA

terça-feira, 18 de agosto de 2009

TÁ CHEGANDO...

POLUIÇÃO VISUAL E PUBLICIDADE(MÍDIA)INDOOR
















28/07/2009
SUCOM realiza mais uma ação de combate à poluição visual


Visando coibir a poluição visual em Salvador, a SUCOM realizou na tarde desta segunda-feira (27) mais uma ação de fiscalização. Seis equipes formadas por técnicos e fiscais atuaram nas principais avenidas da cidade com o propósito de identificar publicidades irregulares (banners, cartazes, anúncios) afixados em mobiliários urbanos, postes, viadutos, pontos de ônibus, entre outros. A operação aconteceu nos seguintes trechos: Pituba / Itapuã; Pituba / Barra; Av. Vasco na Gama; Av. Garibaldi; Av. Orlando Gomes / Av. Pinto de Aguiar; Av. Manoel Dias da Silva / Av. Paulo VI. Os trabalhos resultaram em 164 ações, entre apreensão de banners (com anúncios de serviços de cartomantes e similares) pendurados em postes e cadastramento de informações de demais publicidades em desacordo com a legislação. Leis e normas - De acordo com o artigo 15 do Decreto n° 12.642/00 (que regulariza o uso de publicidade em Salvador), fica proibida a colocação de qualquer meio ou exibição de anúncio em viadutos, pontes, túneis, elevados, passarelas, cais, árvores, postes de sinalização de trânsito ou de iluminação pública. O Código de Polícia Administrativa do Município (lei n° 5.503/99) também dispõe sobre o assunto no artigo 52, proibindo a fixação de cartazes, publicidades ou propagandas de qualquer natureza em locais como viadutos, passarelas, pontes, canais, túneis, postes de iluminação, sinalização de trânsito, caixa de correios, telefones, entre outros.




SUCOM - Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município
Av. Mário Leal Ferreira, N. 1975 - Bonocô - CEP: 40252-290 - Salvador - Bahia.Tel: (71) 2201-6600 -->Alô SUCOM: (71) 2201-6900














ANÚNCIO NO BANHEIRO - PUBLICIDADE INDOOR GANHA ESPAÇO
Forbes




11/10/2006
REF: Mídia Alternativa - Estratégia de Marketing

Jovem empresa de Curitiba quebra paradigmas, espalha-se pelo país e cresce 600% com seus projetos de mídia indoor


O recém-aprovado projeto de lei “Cidade Limpa”, que proíbe peças de mídia exterior na cidade de São Paulo, criou muita polêmica. Enquanto a prefeitura defende a medida afirmando que a cidade está afogada em anúncios, a maioria dos envolvidos reclama que a medida vai resultar em perdas financeiras. No meio dessa confusão, Ernesto Villela, diretor geral da curitibana Enox Indoor Experience, arruma sorridente o seu novo escritório em São Paulo (SP), que deve ser o ponto de partida para a conquista definitiva do maior mercado de publicidade indoor do país.
O investimento em mídia exterior no Brasil é quase o triplo do que se aplica na internet. Em outdoors,empenas (cartazes nos prédios), backlights e outras peças do gênero, foram aplicados R$ 680,6 milhões em 2005 (cerca de 6% do bolo publicitário total).Com a proibição em São Paulo, a expectativa de Villela é que parte desse público migre para o mercado indoor.





Criada em 2003 por três jovens amigos, a Enox pretendia ser o veículo para a publicidade entrar — com classe — nos banheiros. Eles achavam que aqueles poucos minutos em que o jovem fica nos banheiros das baladas poderiam ser utilizados para veicular alguma mensagem. E foram atrás de quem acreditasse nessa idéia.





Logo de cara perceberam que o mercado de entretenimento estava bastante desorganizado, não havia uma relação dos empreendimentos e do público que os freqüentava, o que levou Ernesto a procurar,um por um, os melhores bares e baladas de Curitiba. Em menos de três meses ele já havia fechado contrato com os proprietários dos 100 melhores estabelecimentos da cidade, que deram à Enox a exclusividade no uso de seus interiores. Com os contratos nas mãos, eles foram às agências de publicidade.





“Algumas nos olharam como se nossa proposta fosse uma indignidade — tinham certeza de que seus clientes não queriam anunciar nos banheiros,mesmo que das melhores casas”,diz Villela. Mas muitas outras gostaram da idéia.No mês seguinte, a Enox fechava acordo com as maiores academias de ginástica de Curitiba, e no final daquele ano já tinham exclusividade também nos melhores estabelecimentos de Porto Alegre (RS) e Maringá (PR). Naquela altura, a Enox veiculava anúncios da GM, Fiat, Coca-Cola, Sony, Gillete, L´Oreal, Nestlé, Renault, Unilever, O Boticário e Toyota.





Em 2005 conquistaram Londrina, Joinville, Campo Grande, Brasília e Salvador, e em 2006 desembarcaram em São Paulo e no Rio.“Se queremos operar nacionalmente,precisamos estar aqui, onde estão as grandes agências, que trabalham a estratégia global para seus clientes”, afirma Villela.Hoje a empresa possui escritórios em 12 municípios, onde detém 100% do espaço indoor dos principais estabelecimentos de lazer e cultura voltados para o público-alvo A e B.





Exatamente porque se trata de um público exigente, o esquema montado em cada um dos escritórios prevê uma ronda semanal por todos os pontos onde a Enox mantém um anúncio para checar as condições do produto. Tem molduras que mantêm alguns produtos acoplados — o cartaz do desodorante,por exemplo, tem uma peça que permite que seja acoplado um frasco do produto para que os jovens na balada, ou na academia, possam experimentá-lo. O reabastecimento da peça é feito por essa equipe, que também pode trocar a moldura se ela tiver sido danificada. Cada peça permanece no display por 28 dias, e logo que um anúncio é retirado outro ocupa o lugar.





Com a ampliação da clientela e dos anunciantes, a Enox foi além do banheiro, e hoje atua com projetos que incluem backlights, displays (clássicos), adesivação de espelhos, displays de fôlder, displays de sampling (com amostras grátis ou testers de perfumes), ações promocionais dentro de estabelecimentos, uniformização de funcionários com foco em campanhas específicas, distribuição de amostras grátis e bolachas de chope personalizadas. “Nossa meta, a médio prazo, é fazer com que a mídia indoor seja vista como uma opção de investimento tradicional e não mais como mídia alternativa”, explica.Com relação à publicidade no banheiro, ela retém a atenção do consumidor por até 4 minutos, ante os 3 a 5 segundos da propaganda impressa convencional.Esse argumento é imbatível na defesa do modelo.





Como encontraram o mercado de Curitiba bastante desorganizado,Villela criou um relatório minucioso que é preenchido por seus clientes.Dessa forma ele hoje tem um banco de dados nacional que lhe permite, rapidamente, saber que público freqüenta cada um dos estabelecimentos e em que dias da semana.





Esse trabalho dedicado vem dando bons resultados. Em 2005 a empresa elevou em 600% o seu faturamento em relação a 2004. Hoje a Enox tem contrato exclusivo com mais de mil estabelecimentos, onde mantém cerca de 5 mil pontos de mídia instalados. A meta é terminar dezembro com 7 mil pontos em todo o país.





Como último argumento para provar que a mídia indoor não é uma forma alternativa, mas deve constar como um investimento normal nos planos das agências, Villela lembra que o fluxo anual de consumidores que circula nessas casas é superior a 70 milhões.





Lei Cidade Limpa impulsiona boom da publicidade indoor em São Paulo
01/01 - 08:36 - Luiz Raatz, repórter Último Segundo


SÃO PAULO - A publicidade na capital paulista foi “varrida para debaixo do tapete”. Em 2007, a cidade viveu um boom da mídia indoor. Publicitários e especialistas são unânimes em creditar este novo cenário às mudanças causadas pela Lei Cidade Limpa, cuja fiscalização completou um ano nesta terça-feira.





Fiscalização de outdoors em São Paulo completa um ano com prós e contras

O publicitário Paulo Queiroz, vice-presidente executivo da DM9DDB, uma das agências mais importantes do país, diz que o mercado de mídia exterior praticamente acabou, mas as verbas migraram. “Buscamos novas alternativas indoor, em Metrô, ônibus, aeroportos, shoppings e em estádios de futebol”, conta.








A professora Ana Lúcia Fegulin, que ministra o curso de mídia digital da Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo (ESPM), explica este movimento. “A lei provocou a implementação de mídias diferenciadas, principalmente indoor, em ponto de venda e as mídias digitais. Todas elas receberam investimento em um volume maior. Foi um boom muito grande”, diz. Ainda de acordo com Ana Lúcia, a mídia indoor demorou para chegar ao País, mas a tendência foi impulsionada pela lei Cidade Limpa”.

Só no Metrô de São Paulo, o faturamento de 2007 com publicidade deve crescer 30%. Um anúncio nas portas de um trem, por exemplo, rende à empresa R$ 15.142 por mês. Uma volta em qualquer estação da companhia revela a mudança. Propagandas de filmes, celulares, faculdades e chocolates preenchem o cenário onde 2,8 milhões de pessoas passam todos os dias.
A criatividade dos publicitários tem inovado cada vez mais. Sobrou até para as catracas do Metrô. Desde dezembro do ano passado, a agência Monster Mídia Brasil entrou no mercado com contrato de exclusividade para a exploração de anúncios em catracas das estações. A agência também vai controlar a publicidade nas catracas dos principais estádios do País. No exterior, a Monster Mídia é especialista neste tipo de anúncio.





A Monster Mídia fechou a primeira campanha no Metrô com a Nestlé. A multinacional alimentícia comprou espaço em todas as estações para anunciar três de suas marcas de chocolate. O diretor comercial da agência, Marcelo Rocha, diz que um dos motivos para a Monster Mídia se instalar em São Paulo foi a Lei Cidade Limpa.





“Um dos focos foi em função disso. Vimos que havia espaço para entrarmos no mercado com esta nova frente de negócios”. Rocha acredita que esta nova possibilidade de publicidade é uma é uma alternativa pra anunciantes. “É uma mídia limpa, nova, impactante e que não polui a cidade”, diz.
Outras formas de mídia indoor também começaram a aparecer na cidade. Alguns ônibus da frota municipal contam com displays digitais que, além de anúncio, trazem conteúdo próprio. O mesmo acontece em drogarias, livrarias e em alguns shoppings.





Para a professora da ESPM, o grande desafio desta nova mídia será trazer opções de qualidade para o público. “Essas novas plataformas precisam se aprimorar em termos de conteúdo. Quem anda de ônibus, assiste todo dia a estes programas. É preciso um conteúdo bom, do contrário não há interesse para o mercado anunciante”, analisa.
Leia mais sobre: Lei Cidade Limpa


Poluição visual
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Apesar de ser considerada por alguns estudiosos como uma expressão artística urbana, o grafite pode contribuir para a degradação visual em áreas da cidade.

O lixo propriamente dito também é considerado um elemento de desconforto visual que contribui para a sensação de mal-estar urbano.

Dá-se o nome de poluição visual ao excesso de elementos ligados à comunicação visual (como cartazes, anúncios, propagandas, banners, totens, placas, etc) dispostos em ambientes urbanos, especialmente em centros comerciais e de serviços. Acredita-se que, além de promover o desconforto espacial e visual daqueles que transitam por estes locais, este excesso enfeia as cidades modernas, desvalorizando-as e tornando-as apenas um espaço de promoção do fetiche e das trocas comerciais capitalistas. Acredita-se que o problema, porém, não é a existência da propaganda, mas o seu descontrole.





Também é considerada poluição visual algumas atuações humanas sem estar necessariamente ligada a publicidade tais como o grafite, pixações, fios de eletricidade e telefônicos, as edificações com falta de manutenção, o lixo exposto não orgânico, e outros resíduos urbanos. [1]





Normalmente, ela se soma aos outros tipos de poluição: do ar, das águas e a luminosa, principalmente com esta última.





Efeitos
A poluição visual degrada os centros urbanos pela não coerência com a fachada das edificações, pela falta de harmonia de anúncios, logotipos e propagandas que concorrem pela atenção do espectador, causando prejuízo a outros, etc. O indivíduo perde, em um certo sentido, a sua cidadania (no sentido de que ele é um agente que participa ativamente da dinâmica da cidade) para se tornar apenas um espectador e consumidor, envolvido na efemeridade dos fenômenos de massas. A profusão da propaganda na paisagem urbana pode ser considerada uma característica da cultura de massas pós-moderna.





Certos municípios, quando tentam revitalizar regiões degradadas pela violência e pelos diversos tipos de poluição, baixam normas contra a poluição visual, determinando que as lojas e outros geradores desse tipo de poluição mudem suas fachadas a fim de tornar a cidade mais harmônica e esteticamente agradável ao usuário.





Prejuízos
Uma das maiores preocupações sobre a poluição visual em vias públicas de intenso tráfego, é que pode colaborar para acidentes automobilísticos. Muitos países possuem legislações específicas para controle de sinalizações em diversas categorias de vias. [2] Alguns psicólogos também afirmam que os prejuízos não se restringem à questão material mas atingiriam também a saúde mental dos usuários, na medida em que sobrecarregaria o indivíduo de informações desnecessárias. [3]





Referências
↑ http://www2.uol.com.br/joanaprado/joana_natureza/natureza_poluicaovisual.htm
↑ http://portalimprensa.uol.com.br/mapadamidia/204_midiaoutdoor.asp
↑ http://www.revelacaoonline.uniube.br/a2002/ambiente/poluicao.html
Obtido em "http://pt.wikipedia.org/wiki/Polui%C3%A7%C3%A3o_visual"


segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O PLANETA TERRA VISTO DO SATÉLITE

É desbundante. Sigam estas instruções e vamos todos pro espaço. Cliquem no link abaixo e vocês poderão ver a terra a partir de um satélite. Aliás, vocês escolhem o satélite. Após abrir, teclem F11 para verem em tela inteira. E usem as barras de rolagens horizontal e vertical para situarem-se melhor. No caso, temos uma visão em tempo real. De noite pode-se ver as luzes das cidades, o sol nascendo, etc. Sugiro deixar o navegador aberto na imagem e, de tempos em tempos,clicar em"Atualizar". Cliquem em qualquer lugar do globo e surgirá a imagem do satélite como centro do ponto de vista. Como se estivessemos dentro dele, olhando para a Terra. No menu abaixo da figura é possível selecionar várias opções.
Dá para ver aTerra como se estivessemos vendo-a da perspectiva da Lua ou do Sol.
Escolhendo a opção Night, vocês verão a parte da Terra onde, neste momento, é noite.Vale a pena explorar!Clicando nos pólos, por exemplo, dá para ver a Terra dividida em noite e dia.Vão se familiarizando com as diversas opções, desde uma simples visão do
nosso planeta até aquelas de cunho científico, onde vemos as nuvens,previsão do tempo, as constelações (também a partir de um determinado ponto da Terra que escolherem).
Nota: O Brasil fica mais ou menos Lat 30 sul e long 50 oeste! CLIQUEM NESSE LINK: http://www.fourmilab.ch/cgi-bin/uncgi/Earth?imgsize=1024&opt=-l&lat=350.45
Enviado p0r Cláudio Malungo/PE em 2004

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

MEIO AMBIENTE PARA CRIANÇAS

CONHEÇA ESTE SITE

http://www.canalkids.com.br/meioambiente/

MEIO AMBIENTE

Preservar o meio ambiente é muito importante para que possamos ter um planeta saudável e rico em recursos naturais no futuro.

Vamos aproveitar o dia 5 de Junho e listar quantas ações podemos fazer para colaborar na preservação do meio ambiente. Se todo mundo fizer um pouquinho, podemos contribuir um montão para o mundo!

Segue algumas medidas que podemos facilmente tomar em casa e na escola:




Água

•Escovando os dentes - desligue a água enquanto faz a escovação.
•Lavando a louça - desligue a água enquanto ensaboa pratos, copos, talheres e panelas.
•Tomando banho - nada de banhos muito longos e quando estiver se ensaboando, desligue a torneira.


Energia

•Desligue as luzes - ao sair do seu quarto, sala ou cozinha não esqueça de apagar as luzes.
•Desligue aparelhos eletrônicos - não deixe a televisão, rádio ou computador ligado caso não esteja sendo utilizado.
•Ar condicionado - utilize com moderação!
•Lavando roupa suja - dedique dias da semana para lavar a roupa. Assim você utiliza a máquina de lavar em sua capacidade máxima, economizando energia e água ao mesmo tempo.
•Passando roupa - também dedique dias da semana para passar roupa. Evitando assim, o liga e desliga.


Lixo

•Coleta seletiva - tenha uma atitude bacana. Programe a coleta seletiva na sua casa. É muito fácil, basta separar os lixos em: material orgânico, papel, metal, vidro e plástico. Desta forma, você estará fazendo uma grande contribuição à mãe natureza, já que este material será reciclado, ou seja, será reaproveitado para a fabricação de novos produtos.


Transportes

As emissões de gases emitidos pelos transportes é muito nociva para a nossa atmosfera. Mas podemos tomar algumas atitudes para contribuir na diminuição da emissão de gases.

•A caminho da escola - Utilizar os transportes coletivos é sempre mais saudável para o planeta. Por isto, quanto mais gente utilizar um mesmo veículo melhor. Se você vai de carro para a escola, que tal combinar um rodízio com os colegas que moram perto! Além de ser uma atitude consciente, você aproveita e faz novos amigos!
Agora, se a sua escola é perto de casa, larga de preguiça e vá a pé! Assim, você estará cuidando da saúde do nosso planeta, e da sua saúde também!
JOGO DO MEIO AMBIENTE


SACOLAS PLÁSTICAS: UM PROBLEMA AMBIENTAL

É preciso que as autoridades moderem o uso deste item. foto: Marco Pozzana

A cultura do saco plástico está profundamente enraizada na sociedade brasileira.

Mesmo sabendo que estes indesejáveis sacos de supermercado, drogarias e praticamente todo o comécio varejista causam enorme impacto no meio ambiente, o brasileiro segue consumindo números inaceitáveis deste utensílio.

A grande maioria das sacolas plásticas disponíveis em supermercados brasileiros são feitas de resina sintética originadas do petróleo, não são biodegradáveis e podem levar centenas de anos para se decompor. Nos mares, além de enfeiar a paisagem, podem matar animais como tartarugas, que são vítimas frequentes pois confundem o material com as medusas, sua presa natural.

Leia mais sobre este assunto no artigo Consumo de sacos plásticos, do portal Mundo Quente.

Fonte: http://www.meioambienteurgente.blogger.com.br/

Consumo de sacos plásticos



fotos: Mario Moscatelli
“O Brasil ignora os danos ambientais causados pelas sacolas plásticas e consome quantidades impressionantes anualmente.”

Por Marco Pozzana - Biólogo

Quando recuso as sacolas que me são oferecidas em supermercados para transportar minhas compras, percebo que algumas pessoas me olham com estranheza.

Isto porque a cultura do saco plástico está profundamente enraizada na sociedade brasileira. Mesmo sabendo que estes indesejáveis sacos de supermercado, drogarias e praticamente todo o comécio varejista causam enorme impacto no meio ambiente, o brasileiro segue consumindo números inaceitáveis deste utensílio.

A mania vem crescendo desde que o inglês Alexander Parkes inventou o primeiro plástico em 1862. O fato é que o despejo indiscriminado de plásticos na natureza fez do consumidor um colaborador de uma terrível tragédia ambiental.

A grande maioria das sacolas plásticas disponíveis em supermercados brasileiros são feitas de resina sintética originadas do petróleo, não são biodegradáveis e podem levar centenas de anos para se decompor. Nos mares, além de enfeiar a paisagem, podem matar animais como tartarugas, que são vítimas frequentes pois confundem o material com as medusas, sua presa natural.


"As chuvas e esgotos levam as sacolas que não foram corretamente descartadas para o mar, provocando grande impacto no ambiente."

Um material assim, tão difícil de eliminar, é problema certo para o meio ambiente, uma vez que os custos para se reciclar essas sacolas superam os custos da produção. Se queimados, liberam dioxina, um supertóxico que provoca câncer e outras enfermidades.

Na Europa, de maneira geral, as pessoas tomam atitudes bem mais corretas. Na Itália, Alemanha, França e outros países, a plasticomania deu lugar à sacolamania. Quem não leva sua própria sacola para carregar as compras é obrigado a comprar na loja. O preço é salgado...


Fonte: http://mundoquente.com.br/artigos/sacos_plasticos.htm

domingo, 9 de agosto de 2009

FELIZ DIA DOS PAIS

Esta mensagem é para vc que tem a Felicidade de Ser Pai.
Desejo Saúde, Sabedoria e muito Discernimento para continuar nesta GRANDE MISSÃO.
Com carinho
Lúcia Maria.


http://www.youtube.com/watch?v=NnUHXIwNlC0

Enviado pela amiga Lúcia Maria/BA

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

BLOGS DA REDE CEIA

IRMÃOS DE LUZ - ESPIRITUALIDADE E MENSAGENS DE CONFORTO ESPIRITUAL http://irmaosdeluz.blogspot.com

SEGURANÇA - PRESERVAÇÃO DA VIDA HUMANA EVITANDO ACIDENTES
http://trajanoengseg.blogspot.com

MEIO AMBIENTE - EDUCAÇÃO E CONSCIÊNCIA
http://terraambiental.blogspot.com

PAZ E TOLERANCIA RELIGIOSA
http://africapaz.blogspot.com

LETRAS QUE NOS DIZEM ALGO
http://letrasquemarcam.blogspot.com

VERSUS PIRATARIA - COMBATENDO A PIRATARIA PELA EDUCAÇÃO,INFORMAÇÃO E ESCLARECIMENTO
http://versuspirataria.blogspot.com

CEIA - CENTRAL DE EDUCAÇÃO,INFORMAÇÃO E ASSISTÊNCIA - EDUCAÇÃO,CIDADANIA,SOLIDARIEDADE,INFORMAÇÃO E SEUS DIREITOS
http://ceianet.blogspot.com

terça-feira, 4 de agosto de 2009

SALVEMOS SALVADOR DA BAHIA. ACORDA POVO SOTEROPOLITANO!

CONCORDO EM GÊNERO,NÚMERO E GRAU E ASSINO EMBAIXO 460 VEZES
COMO ENGENHEIRO E CIDADÃO!




Salvemos Salvador, enquanto é tempo.
Texto publicado no jornal A Tarde, em 23 de julho de 2009.
O 460º aniversário de Salvador passou quase despercebido.




Em 60 anos de “laissez-faire”, a cidade acumulou índices assustadores de compactação demográfica e veicular, concentração de pobreza, insegurança e destruição do meio ambiente, que apontam para seu colapso em curto prazo. A cidade possui hoje 4.172 habitantes por km², densidade superior à de Bombaim, segunda colocada. Para piorar, a urbe se transformou, por falta de política metropolitana, em dormitório e provedor das necessidades de 3,76 milhões de moradores da Grande Salvador. Camaçari, Lauro de Freitas, Simões Filho e Candeias juntas faturam receita igual à de Salvador, transferindo para esta o passivo de serviços e infraestrutura.

Seu déficit habitacional é de 100 mil habitações, das quais 80% são de famílias fora do mercado imobiliário. Para satisfazer aos 10% dos candidatos com renda superior a cinco salários mínimos, o novo PDDU consentiu que o setor imobiliário devorasse as entranhas verdes da cidade, a orla e os bairros consolidados.

Cerca de 35 mil novos automóveis e o dobro de motos são licenciados a cada ano. O metrô de Salvador, cuja construção dura 6 anos, é dos mais caros do mundo. Terá 6 km, 6 trens e custará R$ 1,16 bilhão, se inaugurado em 2010. No Recife, o metrô foi construído em dois anos, tem 34,7 km, 25 trens, transporta 180 mil por dia e custou R$ 750 milhões, segundo H. Carballal (A TARDE, 23/3/09). Isto para não falar no impacto ambiental e déficit operacional.

As duas saídas rodoviárias da cidade, a Paralela e a BR-324, estão no limite e ainda se fala em construir uma ponte para Itaparica para trazer os caminhões da BR-101 para o nó do Iguatemi, em vez de construir um arco rodoviário. Isto quando Manhattan e cidades europeias cobram pedágios e proíbem a construção de novas garagens para evitar a entrada de mais carros. Em Salvador, alguns apartamentos centrais têm até seis vagas. Não há planejamento nem qualificação dos projetos públicos, que são oferecidos pelas empreiteiras interessadas, vide a ponte de Itaparica e o parque da Vila Brandão. A Sedham funciona como uma Defesa Civil, mais que um órgão de planejamento. As licitações são feitas em função do menor preço, ou seja, do pior projeto e menor tempo.

O desperdício é grande, viadutos são construídos e não servem para nada, as ruas são refeitas a cada inverno. O Pelourinho é recuperado todo ano. Os conjuntos habitacionais, em serviços, são novas favelas, estão se desfazendo.

E vai-se implodir o parque olímpico da Fonte Nova, cujo laudo da Politécnica diz ser recuperável, para construir uma nova arena menor e um shopping, para dois dias de festa. O que acontecerá com a Copa, se chover, com a cidade alagada e parada como se viu há pouco? As questões ambientais têm o mérito de nivelar todos. Os condomínios fechados da Paralela foram invadidos por barbeiros, dengue, sapos, lagartos e cobras.

O senhor prefeito teve de mudar de casa e gabinete, mas prefere trocar postes cinzas por azuis do que rever um PDDU aprovado com 180 emendas de última hora. A classe média já não suporta os engarrafamentos e se tranca em torres e condomínios mistos de vida monástica, com celas, refeitório, oficinas, botica e orações televisivas no mesmo lugar. Considerada patrimônio da humanidade, Salvador mergulha hoje na mediocridade imobiliária. Fernando Peixoto lamentou a “paulistização” da cidade. Arilda Cardoso denuncia a perda de patrimônio histórico e verde.

Neilton Dórea constata: “Hoje, há uma arquitetura dependente... A maioria (dos arquitetos) é desenhador de uma vontade empresarial” (Muito, de 29/3).

Mas não devemos ser pessimistas. A sociedade civil se organiza em movimentos como “A Cidade Também é Nossa” e “Vozes da Cidade”, os ministérios públicos, federal e estadual, assumem o papel que lhes cabe. Não é desmatando, segregando e verticalizando que se vai resolver os problemas de Salvador, senão pensando grande e democraticamente, compreendendo que Salvador só tem saída na região metropolitana.

São estas questões que cidadãos, ricos e pobres, de Salvador querem discutir, antes que a cidade entre em colapso completo.

NOSSOS SERVIÇOS